O que é o tratamento minimamente invasivo da coluna?

Postado em 19 de julho de 2016

A tecnologia está cada vez mais aprimorando os tratamentos médicos. Atualmente existem uma gama de opções na medicina moderna que há 10 ou 20 anos nem sonhávamos em obter.

A revolução tecnológica vem propiciando avanços nos diagnósticos, tratamentos e cuidados com os pacientes. Com isso, busca-se melhorar os resultados alcançados.

Minha opinião é que quanto menos agressivo e mais resolutivo eu puder ser, melhor para o paciente. Assim, os tratamentos minimamente invasivos da coluna (área de atuação em que venho me dedicando) são uma opção para quem busca aliar resultados com modernidade.

Hoje é possível fazer uma cirurgia de hérnia de disco por endoscopia (cirurgia por vídeo) através de uma pequena incisão do tamanho de um grão de feijão. O cirurgião introduz uma pequena câmera na coluna do paciente, que vai mostrar diretamente onde está a hérnia. Com isso, a recuperação é mais rápida, menos dolorida, o paciente consegue retornar ao trabalho mais rapidamente, as taxas de complicação tendem a ser menores. Alguns pacientes podem ser submetidos a essa cirurgia com anestesia local, e tem alta no mesmo dia! E o melhor de tudo: com resultados no tratamento da hérnia e da dor muito semelhantes aos do tratamento convencional.

Até mesmo artrodeses utilizando hastes e parafusos na coluna podem ser feitas de maneira minimamente invasiva, com incisões menores, menor sangramento, mais rapidamente e com resultados tão bons quanto a abordagem tradicional.

Os bloqueios, infiltrações facetárias e rizotomias também são uma ótima opção no tratamento da dor, seja ela crônica ou não. E não só da coluna. Quem tem osteoartrite nos joelhos por exemplo, e não pode ou não quer fazer cirurgia, pode ser candidato a uma rizotomia dos joelhos. É um procedimento rápido em que uma agulha ligada a um aparelho é colocada na região da dor, e uma onda de radiofrequência neutraliza as fibras dolorosas dos nervos. Não serve para tratar a osteoartrite ou o arqueamento das pernas. Mas se seu problema for a dor você pode se beneficiar muito com a rizotomia.

Existem muitas outras opções de tratamento minimamente invasivo da coluna. É uma área que cresce cada vez mais, pois mostra eficácia na resolução dos problemas sendo menos agressiva no tratamento.

A tecnologia deve ser usada para ajudar. E a intervenção menos agressiva é um belo exemplo do que os avanços tecnológicos podem fazer na medicina: revolucionar tratamentos. Às vezes o “novo” pode assustar, ou mesmo deixar incrédulos profissionais que tem ótimos resultados com a abordagem tradicional. Já ouviu aquele ditado: “em time que está ganhando não se mexe”?

Durante muitos anos a abordagem convencional vem sendo utilizada. E com obtenção de resultados melhores a cada década. Por isso não está errado manter o tratamento convencional. Longe disso. Mas se podemos obter os mesmos resultados com uma cirurgia menor, por que não?

Se você precisa fazer uma cirurgia de coluna, converse com seu médico sobre a possibilidade do tratamento minimamente invasivo, tire suas dúvidas e veja se você pode ser um paciente que vai se beneficiar desse tipo de tratamento.

Fonte: Lau D et al. Minimally invasive compared to open microdiscectomy for lumbar disc herniation. J Clin Neurosci (2010), doi:10.1016/j.jocn.2010.04.040
Bhavuk Garg, Upendra Bidre Nagraja, Arvind Jayaswal. Microendoscopic versus open discectomy for lumbar disc herniation: a prospective randomised study. Journal of Orthopaedic Surgery 2011;19(1):30-4
Wilco C. H. Jacobs et al. Surgical techniques for sciatica due to herniated disc, a systematic review. Eur Spine J (2012) 21:2232–2251 DOI 10.1007/s00586-012-2422-9

Dr. Antenor Mazzuia

Médico Ortopedista especialista em tratamento da Coluna (CRMSP: 143598 - RQE: 58117 - TEOT: 13794). Atua nas áreas clínica e cirúrgica, bloqueio da dor, cirurgia minimamente invasiva e por vídeo da coluna. Especialização pela PUCCAMP, fez Fellowship em cirurgia da coluna no Queen's Medical Centre (Nottingham, Inglaterra) e curso em cirurgia endoscópica da coluna lombar pelo American Institute of Telesurgery.